• Tire todas as suas dúvidas sobre seguir a carreira acadêmica

    Depois de alguns anos na faculdade, é cada vez mais comum encontrar estudantes ou recém-formados pensando em continuar os estudos como a pós-graduação. Essas pessoas ponderam a possibilidade de fazer um mestrado e, às vezes, até de continuar pesquisando para um possível doutorado e depois seguir uma carreira acadêmica.

    Entretanto, para alguns essa decisão não é tão fácil e pode trazer dúvidas. Se esse é o seu caso e você ainda não está certo se quer seguir carreira acadêmica, então aproveite esse post para tirar suas dúvidas. Vamos lá?

    O que significa seguir carreira acadêmica?

    A possibilidade de seguir carreira acadêmica ganhou visibilidade nos últimos anos. Se antes as pessoas se preparavam apenas para dar aulas para crianças e adolescentes, hoje preferem focar seus esforços nos universitários. E não é para menos: lecionar para o ensino superior envolve um conhecimento intelectual muito específico, e o salário e reconhecimento podem ser muito recompensadores.

    Mas engana-se quem pensa que ser professor é o único caminho a seguir nessa carreira. É possível tornar-se um pesquisador e ganhar a vida com isso, ainda que lecionando menos.

    Uma coisa é certa: seja para um ou para outro, essa carreira se desenvolve com muito estudo e dedicação. Nesse caso, depois de formado, o profissional deve seguir o caminho da pós-graduação strictu sensu, os famosos mestrado e doutorado.

    Como funciona a graduação strictu sensu?

    Nesse período de estudo (2 anos para o mestrado e 4 anos para o doutorado), o aluno apresenta uma questão relevante dentro de sua área de atuação que será o foco da pesquisa. Se aprovado, começa a desenvolver esse tema embasado em metodologias científicas com a orientação de um professor durante todo o processo. Tudo isso aliado às tradicionais aulas expositivas que acontecem algumas vezes na semana em uma grade mais flexível.

    Ao fim da pesquisa, o mestrando ou doutorando passa por uma banca examinadora para apresentar o projeto e demonstrar, de forma argumentativa e convincente, tudo que desenvolveu nesse tempo e a que conclusões chegou. Essa banca vai determinar se ele merece ou não a titulação. Esse processo é denominado “defesa de tese”.

    Vale lembrar que quem quer fazer carreira na área também deve envolver-se com as atividades de extensão universitária. O foco é prestar serviços à sociedade, difundindo o conhecimento e contribuindo para o desenvolvimento de uma comunidade. Ou seja, o trabalho pode ser muito maior do que se imagina.

    Quem decide seguir carreira acadêmica precisa estudar sempre, mantendo-se constantemente atualizado ― e isso vale principalmente quem quer dar aula em universidades. Entretanto, tendo o objetivo em mente e buscando os resultados, fica bem mais fácil preparar-se para esse tipo de situação.

    Devo seguir esse caminho?

    Essa talvez seja uma dúvida bastante recorrente. Entretanto, vale ressaltar que a decisão é estritamente pessoal e a melhor pessoa para respondê-la é você mesmo. O que pode ajudá-lo nesse período de descobertas é, em primeiro lugar, considerar seu perfil. Esse já é um primeiro passo para tomar uma decisão mais assertiva.

    Se você é do tipo que gosta de estudar, tem muitos artigos publicados e apresentados durante a graduação, passou em projetos de pesquisa (como PIBEX ou PIBICT), fez a apresentação de diversos painéis e banners durante a graduação, enfim. Se você se envolveu e gostou dessas atividades, provavelmente seu perfil é o ideal para seguir carreira acadêmica.

    Entretanto, se você gosta mais do mercado de trabalho, sonha com uma carreira de promoções e quer ser um executivo, por exemplo, talvez não tenha tanta realização na área acadêmica. Entretanto, cabe a você mesmo ponderar e descobrir que caminho quer trilhar, considerando seus objetivos e gostos pessoais.

    Como é feito o processo para ingresso em mestrado ou doutorado?

    Para entrar em um mestrado ou doutorado é preciso ter uma boa bagagem. Isso acontece porque as principais universidades do Brasil são exigentes com os alunos. Elas fazem uma análise prévia do currículo acadêmico, seguido por provas de conhecimentos gerais e específicos e um teste de proficiência em um idioma estrangeiro (normalmente, o inglês).

    E não é só isso: depois de todo esse processo, eles ainda realizam uma entrevista sobre o projeto de pesquisa. Ou seja, uma seleção e tanto!

    Para aumentar as chances de conseguir um bom orientador para sua pesquisa e uma bolsa de estudos, o aluno deve ter um ótimo histórico escolar e deve ter realizado, ainda durante a graduação, pesquisas em sua área de atuação, como um programa de iniciação científica. E quem vai tentar doutorado passa pelo mesmo crivo de seleção e preferencialmente já deve ter um mestrado.

    O que devo fazer para ser bem-sucedido no processo?

    Conheça bem o programa

    Para não se decepcionar e ficar perdido na carreira acadêmica, nada melhor que conhecer o programa que você quer fazer parte. Para isso, informe-se sobre as linhas de pesquisa que a universidade segue, quais são as possíveis oportunidades, além de conhecer os professores, a infraestrutura e todos os detalhes que considerar pertinente.

    Ter uma visão mais global do programa pode ajudar muito e fazer com que você saiba se quer ou não seguir esse caminho.

    Converse com outros estudantes

    Para conhecer uma realidade de verdade, nada melhor que conversar com alguém que vivencia isso todos os dias. Dedique algum tempo para conversar com alunos que já estão matriculados no programa de pós-graduação; peça dicas, pergunte como foi o processo deles e outras informações importantes para você.

    Leia e estude o edital de seleção de projetos

    As faculdades liberam um edital assim que abrem o processo de seleção de projetos. Para ser bem-sucedido e conseguir ser aprovado, estude todas as exigências e as etapas pelas quais passará. Muitas pessoas acabam perdendo uma grande oportunidade por erros banais que podem ser evitados com um estudo atencioso do edital.

    Agora que você já tem um panorama mais completo da academia, fica mais fácil decidir se você quer ou não trilhar esse caminho, não é mesmo? Seguir carreira acadêmica exige preparo, muita força de vontade e paixão!

    E para começar com o pé direito, não deixe de ler nosso texto sobre como se preparar para uma seleção de mestrado. Assim você aumenta suas chances nesse processo que é cada vez mais concorrido.