• Quer estudar inglês? Veja 10 erros que você não pode cometer

    estudar inglês

    Para muita gente, aprender inglês pode parecer um processo penoso e são essas pessoas que, geralmente, preferem decorar em vez de aprender. Afinal, qual a diferença? Para quem pretende estudar inglês, essa diferença vai interferir muito na aquisição da língua, porque o aprendizado de uma nova língua envolve a apropriação de uma cultura.

    Muitas pessoas querem aprender rápido e ficam decorando regras, o que acaba gerando falhas ingênuas na hora de colocar o inglês em prática. Neste post, selecionamos os 10 erros mais comuns cometidos por pessoas que estão aprendendo inglês. Confira!

    1. Não ter objetivos bem definidos

    Definir metas é uma forma de reduzir o caminho para novos aprendizados. Por isso, tenha em mente seus objetivos e estude no intuito de alcançá-los. Se você está pensando em estudar inglês para fazer uma prova mais técnica, esse tipo de ensino deverá ser foco dos seus empenhos.

    Caso você precise estudar a língua para uma viagem, os objetivos já serão outros e o foco também muda. Suas metas devem servir para guiar seu aprendizado, o que não quer dizer que você não pode aprender e usar o inglês para as duas coisas.

    2. Não ter paciência para estudar inglês

    Estudar já é algo que exige paciência e dedicação, por isso, não ache que você vai aprender tudo em de uma hora para a outra. Além disso, cada pessoa aprende em um ritmo, e algo que parece muito fácil para você pode ser extremamente complicado para outras pessoas, e vice-versa.

    Então, não se afobe, evite ficar decorando as coisas, porque assim não se aprende bem uma nova língua. O essencial para que a aquisição seja efetiva é o tempo.

    3. Não identificar o próprio nível de aprendizado

    Esse é um erro muito comum em razão de, geralmente, as pessoas acreditarem não saber nada de inglês. À vista disso, é necessário verificar qual o nível você se encontra.

    Quando ficamos muito tempo sem ter nenhum contato com uma língua estrangeira, costumamos esquecer algumas coisas que já tínhamos aprendido, mas logo em um primeiro novo contato, nossa memória já trabalha para resgatar algumas coisas. Partindo desse pressuposto, você poderá identificar o seu nível de conhecimento da língua.

    4. Pensar em português

    Principalmente para quem está começando a estudar inglês, a dica é: esqueça o português! Parece difícil falando assim, mas é essencial que se pense em inglês para aprender a língua. Pensar em português só vai atrasar o aprendizado e, além disso, quando pensamos em português para depois processarmos o inglês, acabamos caindo no erro de traduzir as palavras, o que será mais bem abordado no próximo tópico.

    5. Traduzir as palavras

    Quando não pensamos em inglês acabamos perdendo muito tempo traduzindo palavras ou frases. A tradução deve ser a última ferramenta quando você não consegue entender uma palavra, frase ou expressão. Para estudar inglês, é preciso focar no contexto, entrar em real contato com a língua e com a cultura que a envolve.

    Imagine que você está no metrô de Londres e seu celular acabou a bateria. Não tem tradutor, não tem dicionário, não tem brasileiro por perto. E agora? É isso que acontece quando nos acostumamos a traduzir palavras, nós corremos o risco de passar por situações constrangedoras e não sabermos lidar com elas.

    6. Cair na armadilha dos falsos cognatos

    Outro erro muito comum cometido pelos brasileiros é o uso de palavras em português como base para o significado de uma palavra “parecida” em inglês. São muitas palavras em inglês que lembram palavras em português, porém não se parecem nada quando o assunto é o significado delas.

    Quando listamos os falsos cognatos, percebemos a importância de conhecer essas palavras e o quanto realmente elas podem ser uma pegadinha na escrita e na fala.

    7. Confundir grafias e pronúncias

    A grafia, como vimos, tem sua maior armadilha nos falsos cognatos, mas também pode ser um grande problema se você vai fazer uma prova escrita. Perguntas, por exemplo, não são feitas como no português, pois existem verbos auxiliares que caracterizam a frase como pergunta.

    Um erro muito comum na grafia, que se reflete na fala, é o uso do Have, que muitas pessoas usam no sentido de existir, porém o correto nesse caso é o uso do There is/are. Na pronúncia, pode-se também confundir, porque o português não tem alguns dígrafos como o th e só o treino vai ajudar o estudante nesse quesito.

    8. Não treinar

    Esse não é um erro permitido para quem quer estudar inglês para passar em uma prova que pode decidir o seu futuro. Tudo que é novo exige treino, dedicação e paciência. Treinar o inglês não é muito difícil, estamos em contato com a língua sem ao menos percebermos isso.

    Uma dica, para quem quer ter mais contato com a língua, é assistir filmes e séries legendados em inglês. Para quem quer aprender um inglês mais específico para fazer provas ou testes de proficiência, a dica é praticar com exercícios e provas.

    9. Procurar culpados para as falhas

    É muito comum, quando cometemos algum erro, colocarmos a culpa até no cachorro que latiu a tarde inteira e não te deixou estudar. Será que o problema é mesmo o cachorro? Questões externas sempre interferirão em sua vida, por isso, passe por cima desses obstáculos e entenda que o único responsável pelo sucesso de seus aprendizados é você.

    10. Estabelecer prazos de aprendizado

    Uma coisa é certa: não adianta criar prazos para aprender um idioma. Estudar inglês é algo que vai fazer parte da sua vida a partir do momento em que você decide que realmente é importante e necessário.

    Cada pessoa vai aprender em um prazo diferente e não adianta atropelar o básico, pois é assim que esses erros acabam se tornando tão comuns entre os brasileiros que se apressam e desprezam regras simples, porém essenciais, no uso da língua.

    O importante é não ter medo de errar, pois podemos aprender com os erros. Para estudar inglês, é preciso de muita dedicação e não ter medo de arriscar, tentar falar, formular frases, conversar com outras pessoas utilizando a língua. Enfim, a prática é a maior aliada de quem quer aprender inglês.

    Gostou das nossas dicas? Quer receber mais dicas como essa e ficar com o inglês na ponta da língua? Assine nossa newsletter e não perca nenhuma novidade!

  • Comentários
    Lydia Reis

    Muitoo bom essas dicas, infelizmente me identifiquei com quase todas, mas serviu pra cair minha ficha e focar mais nos estudos!!