• Mestrado e Doutorado, o que fazer para passar na seleção

    O que fazer para passar nas provas de proficiência de mestrado

    Um diploma de mestrado e doutorado pode ser importante para quem busca estabilidade financeira e realização profissional. Mas, por esse motivo, as seleções costumam ser concorridas. Confira aqui algumas dicas para entrar na pós-graduação que você tanto deseja.

    Antes de mais nada, é importante esclarecer: mestrado e doutorado são tradicionalmente cursos para realizar pesquisa, desenvolver teoria e preparar professores. Mas existe também o mestrado profissional, que surgiu como uma tentativa de combinar o mestrado acadêmico com as necessidades mais práticas e imediatas do mercado de trabalho.

    Independentemente da sua área de formação durante a graduação, pesquise bastante sobre os programas de mestrado e doutorado que mais lhe interessam. É útil buscar o site dos programas e ler o material, prestando atenção especial às linhas de pesquisa, o que ajuda a identificar em qual delas seu trabalho se encaixa melhor.

    Parece óbvio, mas um passo importante para entrar em um mestrado e doutorado também é conhecer bem o trabalho dos professores. Dê uma olhada nos currículos Lattes dos docentes e tente ler alguns de seus artigos. Além disso, compare as notas de cada programa segundo a avaliação por área da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes, o órgão que supervisiona esse tipo de formação).

    Como funciona o processo seletivo para mestrado e doutorado?

    Os processos seletivos para mestrado e doutorado variam de instituição para instituição. Todos os detalhes estarão no edital, por isso leia o documento com atenção e anote informações importantes, como datas, documentos e fases do processo seletivo. Se o edital deste ano ainda não estiver disponível, utilize como referência o do ano anterior.

    Apesar das diferenças, é possível identificar alguns pontos comuns à maioria dos programas de pós-graduação. Em geral, os processos são compostos de até três fases: uma ou mais provas escritas, análise documental e entrevista com os candidatos.

    Na primeira, o concorrente se submete a uma prova em que precisa obter pontuação mínima – além de uma boa colocação – para ser selecionado para a fase seguinte. Na segunda etapa, deve enviar diversos documentos, como o currículo, o pré-projeto, o histórico escolar, dentre outros.

    Os documentos serão analisados e o candidato selecionado será convidado para uma banca formada por professores. A última fase consiste em uma sabatina na qual os candidatos respondem perguntas sobre a relevância do tema escolhido, a dedicação que pretendem oferecer ao programa, dentre outros.

    Hora da prova escrita

    Antes de fazer a prova escrita, é imprescindível ler a bibliografia recomendada e responder às perguntas com atenção. Boa parte dos programas também exigem prova de proficiência em uma língua estrangeira, geralmente inglês. Se você não tem domínio do idioma, vale a pena investir em um bom curso preparatório de inglês instrumental, já que a segunda língua será útil não apenas na seleção, mas também durante o curso.

    Lembre-se de que a proposta da prova escrita é separar os candidatos mais capazes do restante dos interessados. É uma etapa eliminatória e tirar uma boa nota não garante a vaga, mas sim que os selecionadores lerão seu trabalho.

    Preparando o pré-projeto

    O documento mais importante em uma seleção de pós-graduação é seu projeto ou pré-projeto, uma vez que ele explica o que você pretende fazer durante os anos de estudo. Ele indica quais são seus interesses, sua bagagem teórica e capacidade de formular problemas e solucioná-los e deve estar adequado às linhas de pesquisa e, se possível, a algum orientador.

    O mais difícil é formular um problema de pesquisa. A pergunta deve condensar premissas e hipóteses, então é algo que requer tempo, leitura e observação do objeto. Não esqueça de seguir as normas da ABNT na hora da redação.

    Para fazer um bom projeto de pesquisa, é sempre interessante conversar com outros pós-graduandos, principalmente se eles pesquisam em sua área de interesse. Eles poderão dar opiniões e críticas a respeito do projeto, verificar se sua ideia está clara o suficiente e se o tema é original. Essa é uma boa maneira de melhorar o projeto antes que ele seja avaliado pelo programa de pós-graduação.

    Todo candidato a uma vaga de mestrado ou doutorado deve possuir um currículo acadêmico na plataforma Lattes. Assim como nos currículos profissionais, faça o possível para não cometer erros de português, liste todas as informações sobre seu histórico acadêmico, como cursos, especializações, publicações, artigos e pesquisas. Evite ser informal no texto de apresentação.

    Sobre a entrevista

    Os professores dos cursos de mestrado e doutorado em geral querem saber se os candidatos selecionados serão capazes de terminar a dissertação ou tese dentro do prazo estipulado pela Capes. Por isso é importante passar segurança e credibilidade durante a entrevista.

    É possível que perguntem se você conseguirá conciliar trabalho e família com os estudos, se pretende seguir no mestrado e doutorado mesmo sem auxílio de bolsa e, no caso de universidades particulares, se poderá pagar as mensalidades durante o tempo do curso.

    Perguntas sobre a proposta de pesquisa também são comuns na hora da entrevista. O objetivo é descobrir a familiaridade do candidato com a teoria e especialmente com a metodologia. Os entrevistadores querem saber se você sabe como funciona o programa de mestrado e doutorado em que pretende ingressar. Por isso solicitarão que descreva as etapas que pretende seguir e como exatamente pretende atingir os objetivos prometidos e responder ao problema de pesquisa.

    É bom estar preparado para explicar tudo isso, embora a pesquisa possa mudar ao longo do mestrado ou doutorado. Os entrevistadores podem também perguntar se você aceitaria fazer mudanças no projeto. Nesse caso, demonstre desapego a seu projeto, até porque, à medida que for estudando, você fará correções voluntariamente. Algumas pessoas até mudam o foco e o tema da pesquisa.

    Alguns processos seletivos exigem que os alunos passem por entrevistas ou defesas orais de seus projetos de pesquisa. Para não se prejudicar pelo nervosismo, prepare-se com antecedência, com a ajuda de amigos, para as perguntas mais comuns sobre seu projeto e linha de pesquisa. Esteja pronto para responder questões sobre seu histórico acadêmico e dedicação futura aos estudos.

    Não passou?

    Se você não foi aprovado na primeira vez, não se preocupe. É possível se candidatar novamente em um próximo edital e utilizar a experiência anterior para aumentar as chances de aprovação no mestrado e doutorado dos sonhos.

    Gostou do nosso conteúdo? Então leia nosso post: 7 Dicas Incríveis para se dar bem no processo seletivo do mestrado.