• Os 6 Melhores Mestrados em Educação do Brasil segundo o MEC

    mestrados em educação

    Os mestrados em educação são um ótima maneira de ingressar como professor na rede de ensino. Para aqueles que acham que uma educação de qualidade consegue mudar o futuro e melhorar a vida das pessoas, esse mestrado é uma forma de colocar essa paixão em prática e estudar profundamente sobre o assunto.

    O mestrado em educação tem como objetivo principal formar um profissional que, além da função de ensinar, também passe a refletir e a questionar sobre tudo ao seu redor. Qualquer pessoa que tenha passado por um curso de graduação pode se inscrever.

    As opções de mestrado em educação têm crescido no Brasil. Cada vez mais há cursos espalhados pelo país e começa a se tornar difícil tomar a melhor decisão. Para te ajudar a fazer isso, listamos abaixo alguns fatores que influenciam e que te ajudarão a fazer uma boa opção.

    Como escolher os melhores mestrados em educação

    O que você vai perceber é que não existe, necessariamente, um mestrado melhor, mas sim, aquele que se encaixa nas suas necessidades em um determinado momento da sua vida. Vamos ver abaixo o que devemos analisar.

    1. Se é autorizado e recomendado pelo MEC

    O Ministério da Educação possui um padrão de qualidade para todos os cursos. Para ter o selo do MEC, é necessário ser aprovado em todos os critérios de acordo com o momento pelo qual a instituição passa.

    Por exemplo, quando está pedindo a autorização (quando uma instituição deseja abrir um curso novo), dois avaliadores do próprio local seguem um protocolo enviado pelo MEC para registrar diversas informações. Também são avaliados o corpo docente, a organização didático-pedagógica, as instalações físicas e o técnico administrativo.

    Após isso é que vem o tão famoso selo de curso reconhecido pelo MEC. A partir do momento que a primeira turma entra na segunda metade do curso, a instituição deve entrar em contato com o ministério para pedir o reconhecimento.

    Depois do curso reconhecido, há uma avaliação feita a cada 3 anos usando o cálculo do CPC (Conceito Preliminar de Curso). Essa é a fase de renovação do reconhecimento e é realizada por 2 avaliadores que vão até a instituição de ensino. Isso garante que o curso esteja sempre dentro de um padrão aceitável.

    2. Se o diploma é válido em todo o território nacional

    De que adianta fazer um mestrado em educação se o diploma não for válido? Se você não puder atuar como profissional? Então, se atentar a esse fator é de extrema importância.

    Sempre que um curso é autorizado pelo MEC, essa condição é publicada em diário oficial e o Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) possui uma lista de todos os cursos e instituições autorizadas. Você pode fazer uma busca na qual encontrará diversas informações:

    – área de concentração dos cursos;

    – cursos recomendados e reconhecidos;

    – informações sobre o programa, como está funcionando e os resultados da avaliação feita a cada 3 anos;

    – informações básicas como telefone, endereço, localização e outras formas de contato;

    – cursos que já estão em funcionamento ou que estão prestes a começar;

    Você pode realizar essa consulta por meio do site do CAPES e filtrar por área de avaliação, por região de atuação ou por nota.

    3. Se é recomendado ou reconhecido

    Há uma pequena diferença entre os cursos recomendados e reconhecidos. Estes, são os que já conhecemos quando um mestrado é identificado como reconhecido pelo MEC. Aqueles foram referendados por órgãos como o Conselho Técnico Científico de Educação Superior e depois passam pelo crivo do Conselho Nacional de Educação.

    Assim, o curso recomendado é aquele que ainda não passou pela aprovação do MEC.

    4. Se é ou não compatível com o que você quer

    Um curso de mestrado exige bastante dedicação e é indicado para aqueles que são curiosos, já que estamos falando de um plano de pesquisas que será elaborado até o final do curso.

    Além disso, você precisa dominar uma língua estrangeira, normalmente o inglês, porque, além dos testes de proficiência que devem ser feitos como pré-requisito para ingressar no mestrado, muitas referências usadas durante o curso serão nesse idioma.

    Você também precisa ter disponibilidade de tempo. Afinal de contas, além das aulas que vai assistir, deverá se dedicar ao projeto de pesquisa, o que não é uma tarefa difícil, mas exige um horário separado na agenda.

    E, por fim, um dos maiores motivos para fazer um mestrado, especialmente o de educação, é se você gosta de ensinar. Ter um mestrado simplesmente por ter não fará muita diferença. Além de ser pré-requisito para lecionar em algumas faculdades particulares e em diversos concursos públicos para universidades, esse diploma pode te dar um local de destaque entre os concorrentes.

    5. Se tem o padrão de excelência que deseja

    Se você é bastante exigente com a qualidade dos cursos que faz, então pode ter pensado em realizar um mestrado no exterior, mas isso não é necessário.

    Existem diversos cursos aqui no nosso país que oferecem um padrão internacional de ensino. Esse padrão é avaliado pela Capes, e para chegar a esse patamar, significa que os cursos obtiveram notas de 6 a 7. Para dar essa nota, foram levados em conta alguns fatores como a produção intelectual do mestrado e a formação dos professores que lecionam as disciplinas.

    Aqui, ganharam destaque cursos na área de Administração como o da USP, Informática da PUC/Rio, Ciências da Computação da UFMG, Economia da FGV/Rio e outras.

    As melhores universidades do país com mestrados em educação

    Outra forma muito simples de escolher onde fará o seu mestrado em educação é selecionando as universidades de excelência, ou seja, aquelas consideradas padrão ouro pelo MEC.

    Elas foram avaliadas por meio do IGC (Índice Geral de Cursos), que mede a qualidade do ensino de nível superior no nosso país. Veja abaixo uma pequena lista com as instituições mais renomadas:

    – Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRS);

    – Universidade Estadual de Campinas (Unicamp);

    – Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG);

    – Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ);

    – Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC);

    – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS);

    Há diversas opções de boas instituições e excelentes mestrados em educação para você fazer no Brasil. Comece a procurar qual se encaixa melhor no seu perfil e fique atento às exigências para ingressar.

    A maioria dos mestrados em educação exigem um certo conhecimento em uma língua estrangeira, especialmente o inglês. Então continue conosco e saiba mais sobre o inglês instrumental e como ele pode te ajudar a conquistar a sua vaga!