• Como fazer uma monografia? Conheça 6 dicas preciosas!

    como fazer uma monografia

    Se você está prestes a terminar a graduação e está com muitas inseguranças sobre o trabalho de conclusão de curso, não precisa entrar em pânico: vamos mostrar como fazer uma monografia em alguns passos que podem facilitar bastante a fluidez do seu trabalho.

    Como muita coisa está em jogo, esse tema geralmente costuma gerar bastante ansiedade. Mas não há motivos para temer. Todos os seus anos de estudo, com certeza, prepararam você para elaborar esse artigo científico que envolve muita pesquisa e planejamento.

    Por mais enfadonhos que sejam os detalhes, como as normas e padrões que a sua monografia deve seguir, o processo produtivo não precisa ser um pesadelo. Preste atenção nas dicas a seguir!

    Como fazer uma monografia

    1. Escolha um tema relevante

    Você vai dedicar muito tempo e esforço a esse projeto. Então, é necessário que o assunto abordado realmente desperte o seu interesse. Imagine passar meses pesquisando a fundo um tema que você detesta? Isso só vai tornar o processo ainda mais penoso.

    Além de ser do seu agrado, o tema também precisa ser relevante para a comunidade acadêmica. Ou seja, precisa trazer à tona algo inovador. Isso não quer dizer que sua pesquisa precisa ser inédita para ter relevância, mas é importante, ao menos, trazer novas perspectivas a assuntos já estudados por outras pessoas.

    Por isso, antes de bater o martelo sobre o tema, é importante buscar o que já foi ou está sendo produzido sobre ele. Além de evitar que você escolha uma abordagem que já foi estudada, isso também ajuda a descobrir se há material disponível para servir de fonte para a sua pesquisa.

    Lembre-se também de quanto mais específico for o seu tema, mais chances de sucesso você terá durante o processo investigativo.

    2. Pense bem na escolha do orientador

    O professor que vai guiar você pela jornada da monografia pode tornar o processo mais natural ou mais doloroso. Por isso, avalie com cuidado quem você vai definir para orientar sua monografia. Escolha alguém com quem tem certa afinidade ou, pelo menos, uma relação respeitosa.

    O mais importante de tudo, é claro, é que o orientador atue na área do tema que será desenvolvido. Esse deve ser o seu primeiro critério na escolha. Avalie também se o professor escolhido é alguém disponível a fazer críticas construtivas e sugerir abordagens. Para descobrir isso, uma dica é conversar com alunos que já foram orientados previamente por quem você deseja escolher.

    3. Capriche no pré-projeto

    Um trabalho desse porte precisa de planejamento, e é no pré-projeto de pesquisa que você vai definir pontos importantes, como o cronograma de estudos. Para sua monografia ir adiante, esse anteprojeto precisa ser aprovado previamente pelo seu orientador. Nesta etapa, é a hora de delimitar o problema de pesquisa e explicar por que ele é relevante e merece ser estudado. Ou seja, você já estará pensando na justificativa da monografia.

    Também é através do pré-projeto que você mostra aos avaliadores que sabe como dar seguimento à sua pesquisa, expondo a metodologia escolhida e reunindo referências bibliográficas que vão basear seu projeto no futuro. É a sua chance de mostrar que a sua ideia tem viabilidade.

    4. Pesquise a fundo

    Embasamento teórico é uma das chaves de como fazer uma monografia. Por isso, é importante ler outros autores que possam trazer informações relevantes na resolução do problema apresentado por você. É a partir dessas informações que você construirá sua argumentação.

    Livros, teses, monografias, artigos, documentários, revistas e jornais podem ser usados como fonte. Em plena era digital, um grande parceiro dos pesquisadores tem sido o Google Acadêmico. A ferramenta de busca permite encontrar publicações acadêmicas sobre qualquer tema de acordo com as palavras-chave utilizadas.

    Nesse processo de pesquisa, é fundamental checar a credibilidade da fonte encontrada. Lembre-se também de consultar seu orientador. Ele pode apontar lacunas e indicar obras que vão preenchê-las, ajudando você a colocar a pesquisa na direção certa.

    5. Respeite a estrutura da monografia

    Chegou a hora de escrever. Nesse momento, você precisa ter em mente que a monografia é um modelo que já possui uma estrutura pré-definida.

    Na introdução, você vai abordar a delimitação do tema, o problema, e os objetivos gerais e específicos. Já o desenvolvimento é divido em referencial teórico, em que você vai apresentar um panorama de como o tema está atualmente; metodologia, que explica os métodos aplicados e as ferramentas usadas; e pesquisa/resultados, quando são apresentados os dados levantados pela sua pesquisa.

    A conclusão é o grande fechamento, na qual você deve informar ao leitor se os objetivos foram alcançados ou não, e qual é a lição tirada disso. Tudo deve ser escrito de maneira clara e direta, e sempre com suporte teórico. Ao final, também é obrigatório inserir as referências bibliográficas. A depender das particularidades do seu trabalho, podem aparecer outros itens opcionais, como apêndices e glossários.

    6. Preste atenção às normas da ABNT desde o começo

    Escrever desde a primeira frase seguindo as regras da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) pode poupar muita dor de cabeça na hora de revisar a monografia. Por isso, já deixe seu Word totalmente configurado nas normas, antes mesmo de iniciar a digitação.

    –  Alguns requisitos de formatação são:

    –  não escrever em primeira pessoa;

    –  colocar citações em língua estrangeira em itálico;

    –  usar fonte Arial ou Times New Roman de tamanho 12;

    –  configurar parágrafos com espaçamento 1,5;

    –  justificar citações à direita, em itálico, com fonte tamanho 10;

    –  usar formato de papel A4;

    –  enumerar páginas só a partir da introdução, porém, somando com as anteriores.

    A monografia é a chancela final da sua graduação, a última chance de provar seus conhecimentos. Um trabalho bem-feito tem o poder de impressionar a banca avaliadora (composta por professores experientes), trazer prestígio acadêmico e reverberar positivamente na vida profissional que começa a ser construída.

    Ela pode abrir muitas portas tanto no mercado de trabalho quanto na academia, o que pode ser um diferencial caso você tenha interesse em seguir com os estudos e cursar um mestrado.

    Se você gostou deste artigo faça agora um comentário abaixo!