• 8 Dicas para Fazer um Artigo Científico Incrível

    como fazer um artigo científico acadêmico

    Sem dúvida, apresentar um currículo repleto de artigos científicos de relevância faz toda a diferença na sua vida acadêmica. Afinal, é por meio desses trabalhos que o seu desempenho aparece para o mundo.

    Pesquisar sobre temas relevantes à sua área de estudo, além disso, ainda enriquece os seus conhecimentos, divulga o seu nome e garante credibilidade à sua formação. Por isso, vale a pena aproveitar ao máximo o seu período de estudos para publicar pesquisas relevantes.

    Sabemos, contudo, que redigir um bom artigo científico é um desafio. Não existe fórmula para o sucesso, e exige muito estudo, perseverança e força de vontade. Ainda assim, observando algumas dicas, tudo ficará mais fácil.

    Pensando justamente nisso, preparamos um guia para facilitar a sua jornada! Então, continue lendo e confira:

    1. Comece pelo tema e o problema de pesquisa em seu artigo científico

    O tema de um artigo científico é a área que ele abordará. Dentro desse tema, você deve buscar referências, estudos afins e autores com uma obra relevante, relacionados ao que você quer estudar. Já o problema de pesquisa é algo mais específico: ele trará a questão que o seu artigo deve responder.

    Encontrar o tema é fácil — basta identificar, na sua área de estudos, aquilo que mais lhe interessa. O problema de pesquisa, porém, exige que você encontre um aspecto particular dentro desse campo, e se questione: o que isso pode apresentar de relevante?

    Assim, ao estudar sobre o objeto, é natural que apareçam questões, dúvidas e pontos não esclarecidos. Preste atenção nelas para formular seu problema de pesquisa.

    2. Desenvolva e estruture seu artigo científico

    Com tema e problema em mãos, aprofunde a sua pesquisa: elabore algumas hipóteses, rascunhe o desenvolvimento. Aliás, quanto a isso, uma boa dica é listar os argumentos que conseguiu encontrar para sustentar a pesquisa. Cada item dessa lista pode se tornar uma seção do seu artigo.

    Depois, não se esqueça de incluir uma introdução, que deve apresentar o tema, o problema de pesquisa, as motivações, a metologia. E, ao final, pontuar os resultados em uma conclusão.

    A partir dessa relação, então, você deve elaborar cada parte. Inclua informações e dados que você encontrou na pesquisa, embasamentos teóricos de autores relacionados, imagens ou gráficos. Com isso, seu artigo estará bem encaminhado; basta seguir produzindo até concluir toda a argumentação.

    3. Dois cuidados extras: lógica e linguagem

    Depois de tanta leitura, é normal se perder na argumentação ou inserir informações que não foram citadas anteriormente. Portanto, preste atenção na linha de raciocínio. Lembre-se: uma ideia deve se encaixar à outra.

    Além disso, é muito importante usar uma linguagem adequada à sua área de pesquisa. Se o assunto for das exatas, é imprescindível escrever de uma forma muito clara e objetiva, para não dar margem à interpretações diferentes da que você quer apresentar.

    4. Revise. Revise mais uma vez. Revise de novo seu artigo acadêmico

    Vale ressaltar que as duas dicas anteriores estão relacionadas a uma parte muito importante da elaboração do seu trabalho: a revisão. Não economize nessa etapa — ela é crucial para o resultado final.

    O ideal é revisar o seu artigo, pelo menos, duas vezes. Uma para detectar problemas de conteúdo (ideias repetidas ou pontas soltas no texto, por exemplo), e outra para avaliar a linguagem e a gramática.

    Mas nem pense em revisar logo depois de escrever! O texto precisa “descansar” por alguns dias (e você também!). Até porque leituras apressadas nunca conseguem detectar bem as falhas do texto.

    Caso seja possível, vale muito a pena submeter o artigo a mais um leitor, que pode ser o seu professor, um colega da área ou mesmo um profissional de revisão — esse detalhe fará toda a diferença. Seja como for, reserve alguns dias para essa revisão no seu cronograma.

    5. Não se desespere com a ABNT

    Não adianta: para ser aceito em periódicos ou eventos, o seu artigo científico precisa estar adequado às normas da ABNT. Contudo, não se desespere! Na internet, você pode encontrar diversas formas de aprender essas regras.

    Agora, melhor do que deixar para o final é escrever o texto já dentro da ABNT. Quando for inserir uma citação, por exemplo, por que já não colocá-la segundo o formato da ABNT? Tente reservar um tempo para aprender essas regras e evite acumular toda a tarefa no fim, o que pode ser estressante.

    6. Submeta a um periódico

    Publicar um artigo em um periódico especializado garante muitos pontos no currículo de um estudante. Por isso, esteja atento para as publicações mais relevantes de sua área. Leia as edições mais recentes e conheça as linhas que ela abriga, o formato que ela utiliza e a linguagem empregada.

    Aliás, o ideal é definir a revista antes mesmo de começar a escrever. Isso porque adequar o artigo durante a produção será muito mais fácil do que mexer nele depois de pronto.

    Pode parecer trabalhoso, mas, com certeza, é uma motivação a mais para o seu trabalho. Pense bem: ver uma pesquisa sua publicada em uma revista de relevância é um ponto alto na jornada de qualquer acadêmico.

    7. Considere publicar em uma revista internacional

    Essa é uma meta ousada, mas perfeitamente possível. Um artigo nota 10, bem pesquisado e embasado, que trata de um tema relevante e aponta novas alternativas e cenários tem muita chance de ser aceito por uma publicação internacional.

    Lembre-se, porém, que você terá que traduzir o conteúdo para o idioma de origem da revista. Isso poderá ser um desafio, mas ampliará o seu vocabulário especializado no idioma de chegada. Inclusive, não se esqueça da importância de dominar um segundo idioma na sua carreira acadêmica.

    Se você estiver na graduação almejando uma vaga no mestrado, por exemplo, precisará fazer uma prova de proficiência. E, se já estiver na pós-graduação, com certeza encontrará muitos textos em inglês (pelo menos), que farão parte da sua rotina de estudo.

    8. Fique de olho na repercussão do seu artigo acadêmico

    Por fim, com o artigo publicado ou apresentado, chegou a hora de descansar? Não! Agora, acompanhe a repercussão do seu artigo.

    Os comentários, tanto críticos quanto elogiosos, são fundamentais para sua evolução acadêmica. Por isso, fique de olho e peça opiniões sobre o seu trabalho. Nos seus próximos textos, você perceberá a diferença que esse retorno trará para o seu desempenho.

    9. Dica Bônus – Domine a Leitura em Inglês

    Se você estiver na vida acadêmica com certeza terá que ler muitos artigos em inglês e fazer uma prova de proficiência em leitura da língua inglesa no mestrado e doutorado. Se você não domina esta habilidade com desenvoltura irá perder muito tempo e ter diversos problemas com seus orientadores.

    Existe um método que ensina a leitura na língua inglesa de uma maneira muito mais rápida, efetiva e focada no mundo acadêmico chamada de Inglês Instrumental. Em nosso blog temos 2 posts que explicam detalhadamente tudo sobre o inglês instrumental, como e onde aprender. Leia Agora:

    Inglês Instrumental  – O Guia Absolutamente Completo

    O que diferente o Inglês Instrumental e Inglês Convencional

  • Comentários
    diego

    dicas eficientes , deixa a ordem de raciocínio mais fácil porém continua a tarefa árdua de pesquisar.


    paulo roberto belfort monteiro

    muito bom.
    vou prepara o meu agora.


    Fernanda

    Anciosa para começar, dúvidas tiradas agora mãos a obra!


    Joatham Moreira

    Muito boas as dicas aqui apresentadas. Agora é colocar em prática para ter êxito.


    Sandra

    Muito boas as dicas, obrigada.


    Francisca Nunes da Silva

    Parabéns pelas dicas e pela preocupação com a aprendizagem das outras pessoas. Lindo modo de ver o mundo! Distante do egoísmo e da competição… Você é uma “pessoa muito bonita”. Fique com Deus!
    Francisca Nunes da Silva, Natal, RN