prova de proficiência

Prova de Proficiência: O que é, para que serve e como estudar. Baixe 30 modelos em pdf dos testes e exames em Inglês de Mestrados e Doutorados

Proficiência significa literalmente o conhecimento perfeito, daí concluirmos que a prova de proficiência é um exame que avaliará o quanto uma pessoa domina algo. Neste post vamos tratar dos testes idiomáticos. Sua importância está no fato de que diversas instituições fazem uso desse tipo de prova a fim de verificar habilidades comunicacionais em línguas não maternas, ou seja, para estrangeiros.

A partir dela o avaliador terá condições de saber qual é o nível de fluência do candidato, isto é, se a pessoa está apta a ler, ouvir, escrever e falar de modo a compreender e se fazer compreender. Elas podem ser realizadas por pessoas de qualquer nacionalidade e para cada objetivo haverá um tipo de prova a ser realizada.

Veja, abaixo, mais detalhes a respeito da importância de se conhecer os diferentes tipos de testes e de como se preparar para cada um deles!

Para que serve a prova de proficiência?

Um certificado de proficiência pode abrir muitas portas tanto para as experiências acadêmicas quanto para o âmbito empresarial. Além disso, você poderá avaliar o quanto já domina o idioma de interesse e o quanto precisa se aperfeiçoar. Sim, havendo condições de arcar com os custos, vale a pena fazer as provas para testar o seu nível de fluência.

Se a sua ideia é dar sequência aos estudos acadêmicos, certamente você está pensando em fazer mestrado e doutorado. Assim, seja para cursá-los em outro país ou mesmo no Brasil, textos escritos em língua estrangeira — principalmente em inglês — são utilizados como material básico. Além disso, dependendo da universidade escolhida, poderá haver ministração de aulas em outros idiomas.

Também para o caso de seguir uma carreira empresarial, a fluência em outra língua é, muitas vezes, um pré-requisito extremamente relevante. Enfim, para ambos os casos será necessário provar que você tem real capacidade de se comunicar. Porém, nem todos os países e instituições vão pedir os mesmos certificados. É muito importante saber para que serve cada exame oferecido.

Quais são as principais provas de proficiência?

Há testes de proficiência em diversos idiomas, como inglês, espanhol, francês, italiano, alemão, entre outros. Vamos descrever aqui quais são os principais e, portanto, os mais exigidos — nos dois primeiros idiomas mencionados — pelas instituições de ensino superior. Lembramos que é de muita valia também dar uma olhada nos modelos disponíveis para ir se preparando.

Por isso, separamos para você 30 modelos em PDF de provas de proficiência em inglês para mestrado e doutorado. Além de 30 modelos de exames em espanhol para pós-graduação no Brasil. Não deixe de conferi-los! De qualquer forma, siga a leitura deste artigo, pois são muitas informações que podem transformar você em um candidato que vai fazer a diferença.

Provas em inglês

IELTS — International English Language Testing System

O número máximo de pontos que você pode conquistar no IELTS é 9, sendo que a pontuação requerida dependerá de cada instituição. Essa prova pode ser realizada em várias cidades no Brasil e ao longo do ano todo, pois há muitas datas disponíveis. Com um tempo limite de 3 horas para finalizá-la, você encontrará questões de reading, listening, speaking e writing.

Não há uma validade estipulada, porém, é bom saber que a maior parte das instituições exigem que o seu teste tenha sido realizado nos últimos 2 anos. Sendo mais bem aceito em países europeus, na Austrália e na África do Sul, o IELTS custa em torno de 200 dólares. Também pode ser feito mais de uma vez a qualquer tempo.

TOEFL — Test of English as a Foreign Language

A pontuação máxima desse exame é de 120 pontos distribuídos equitativamente em 4 seções. As provas são realizadas a partir de um local físico, isto é, de um centro aplicador, via internet — é o chamado TOEFL iBT. Você poderá escolher fazê-lo no local mais próximo de sua residência, uma vez que diversas cidades brasileiras disponibilizam-no.

Com uma validade de 2 anos, tem seu certificado mais aceito e solicitado nos EUA e no Canadá. E custa em torno de 250 dólares. Não há uma limitação no número de vezes em que se pode realizá-lo, desde que haja uma distância de 12 dias entre duas inscrições. Essas podem ser feitas pelo próprio site da ETS — Educational Testing Service.

Cambridge Tests

Com reconhecimento mundial, tem foco em questões práticas. As inscrições são feitas pela internet e o exame é aplicado em todas as capitais brasileiras, assim como em mais de 100 países. Também não tem validade, porém, segue a regra dos 2 anos para que o certificado seja aceito. Com 4 horas de duração, você será testado nas habilidades de leitura, escrita, escuta e fala.

TOEIC — Test of English for International Communication

Também administrado pela ETS, acima mencionada, o certificado TOEIC é direcionado para a carreira empresarial. Mais especificamente para aqueles que buscam vagas em multinacionais que atuam no Brasil ou em empresas estrangeiras situadas em outros países. A pontuação máxima que pode ser alcançada é de 990 e cada pontuação posicionará o candidato em uma das categorias abaixo:

  • Memorized Proficiency;
  • Elementary Porficiency;
  • Elementary Porficiency Plus;
  • Limits Working Porficiency;
  • Working Porficiency Plus;
  • International Porficiency.

A validade, assim como no caso do TOEFL, é de 2 anos e o conteúdo aborda questões específicas, como viagens, reuniões, negociações, finanças e todas aquelas próprias de um ambiente organizacional. A taxa de inscrição gira em torno de 215 dólares e pode ser feita via internet.

GMAT — Graduate Management Admission Test

Se é um MBA que você está procurando, então o GMAT é o seu teste de inglês. Tanto nos EUA quanto na Europa, essa é a prova admissional exigida em boa parte das escolas voltadas para negócios. Diferentemente daqueles que testam conhecimentos específicos, ele vai trabalhar a sua habilidade em tomadas de decisões sob pressão — realidade dos grandes negócios.

Podemos dizer que essa é uma prova inteligente. Por quê? Pois as questões vão se tornando cada vez mais complexas à medida que você vai acertando as respostas. Com duração de 3h30 e com a inscrição em torno de 250 dólares, você só poderá fazê-la 5 vezes no período de 1 ano. Há 5 centros habilitados para aplicação dessa prova no Brasil.

Provas em espanhol

DELE — Diploma Espanhol de Língua Estrangeira

Esse é um certificado reconhecido pelo governo espanhol — por meio do Instituto Cervantes — que garante que pessoas não hispânicas estejam aptas a se comunicar no idioma em questão. São 6 diplomas oferecidos e que correspondem a diferentes níveis de compreensão e expressão. A pontuação máxima é de 100 pontos e sua validade é indefinida.

SIELE — Serviço de Avaliação Internacional da Língua Espanhola

O exame é aplicado por meio eletrônico em centros autorizados. E você será testado em sua competência de ler, escrever, falar e compreender auditivamente as questões em espanhol. São diversas as universidades associadas e todo o processo é muito prático. O serviço é promovido pelo Instituto Cervantes e pelas universidades do México, de Salamanca e de Buenos Aires.

É importante ressaltar que para essas provas de proficiência de língua espanhola não há disponibilidade de tantas datas quanto as de língua inglesa. Por esse motivo, faz-se necessário conferir o cronograma de aplicação. E as inscrições também têm um valor mais baixo, que varia de 200 a 500 reais.

Qual dessas provas de proficiência escolher para o Mestrado ou Doutorado?

Para escolher o melhor exame de proficiência, recomendamos que o aluno entre em contato com a instituição que está cobrando a comprovação da proficiência. Sugerimos que, sempre que possível, seja feita uma visita ao local físico da coordenação do curso para obter informações precisas de qual teste fazer.

Em muitos casos de mestrados e doutorados, os candidatos acabam fazendo testes mais difíceis como o TOEFL e o IELTS sem necessidade. Pois é sabido que apenas uma prova de proficiência em leitura já teria sido o suficiente. Porém, caso essa visita não seja possível, tente uma ligação e leia atentamente o site e o edital da instituição.

Como estudar para provas de proficiência?

No caso do inglês, a melhor forma de estudar é através de metodologias específicas. Entretanto, nem sempre é fácil encontrar informações sobre esse tema. Por esse motivo separamos 8 dicas especiais para você se preparar com segurança e tranquilidade. São elas:

  • domine a leitura e as técnicas de interpretação de textos;
  • aprenda as estruturas mais importantes da língua;
  • não se atenha apenas ao vocabulário específico da sua área;
  • estude somente alguns pontos específicos da gramática como, por exemplo, os grupos nominais;
  • aprenda as estratégias de leitura de skimming e scanning;
  • não foque seus estudos nos textos e provas anteriores de sua área específica, pois, normalmente, as provas têm conteúdo de macroáreas;
  • faça um curso de inglês instrumental específico para exames de proficiência;
  • prepare-se com profissionais especializados em provas de proficiência de mestrado.

6 erros comuns na hora de fazer uma prova

Se você está se preparando para realizar ou se já fez provas de proficiência de mestrado, ou doutorado, sabe muito bem que com a proximidade do exame é comum ficar cada vez mais nervoso. No dia da prova, então, não são raros os candidatos com mãos suadas, calafrios e uma agitação fora do normal.

Isso se chama nervosismo e faz a respiração ficar mais curta, deixando de oxigenar o cérebro corretamente. O que pode levar a pessoa a cometer um maior número de erros, colocando a perder todo o esforço, estudo e dedicação. Mas, mesmo com o friozinho na barriga, você pode atentar para alguns equívocos básicos que muitos estudantes cometem. Veja como você pode se prevenir!

1. Estagnar em palavras que você não conhece

Mesmo se você conseguir adquirir um bom vocabulário na sua área de pesquisa, é possível que esbarre com uma ou outra palavra desconhecida. Muitas vezes, é nessa hora que o candidato se desespera e perde a concentração. Mas você pode fazer diferente!

Para começar, certifique-se de que aquela palavra é mesmo importante para o entendimento do texto. Se não for, não perca muito tempo com ela. Caso seja, procure compreender seu significado pelo contexto da frase e do parágrafo. Você verá que a maior parte das vezes é mais fácil do que possa imaginar.

2. Não atentar para as palavras de conexão

Nesse tipo de prova que estamos abordando aqui, as ideias de um parágrafo muitas vezes estão conectadas a conceitos de outros trechos do texto, seja por concordância ou discordância. Sendo assim, é imprescindível dar atenção às palavras que indicam o sentido de oposição ou afinidade. Como assim?

Por exemplo, as palavras “and” e “also” que — em inglês — significam “e” e “também”, respectivamente, tendem a indicar o complemento de uma ideia. Por outro lado, “but” e “however” que correspondem às palavras “mas” e “no entanto” em português, na maioria das vezes, sugerem ideias contrárias.

3. Não utilizar prefixos e sufixos para compreender uma palavra

Lembra que dissemos que pode acontecer de você se deparar com uma palavra que não conhece? Pois bem, além de tentar a compreensão contextual, outra forma de buscar compreendê-la é por meio da análise de seus prefixos e sufixos.

Por exemplo, a palavra disagree é formada pela junção de “dis” e “agree”; o prefixo “dis” tem um sentido de oposição, logo, podemos deduzir que disagree é o mesmo que não concordar, ou seja, discordar.

4. Não ter um bom dicionário

A maior parte dos testes de proficiência permite a utilização do dicionário durante a prova. Mas pouco adianta ter um que não seja de qualidade. Assim, vale a pena investir um pouco mais em algo que represente uma ajuda preciosa. Indicamos o dicionário Longman — que custa em torno de R$60,00 — e pode encontrado tanto em livrarias físicas quanto pela internet.

5. Não ler com atenção as perguntas da prova

Na ânsia de conseguir finalizar a prova a tempo, muitas vezes, ficamos tão preocupados em entender o texto que acabamos não dando a devida atenção ao que nos é questionado. Esse erro é muito comprometedor, pois você pode responder algo que não foi solicitado ou deixando brechas em sua explicação. Por isso, muita atenção ao cabeçalho das questões.

6. Não prestar atenção ao que já sabe

Ter confiança em si mesmo na hora do exame é muito importante. Mas, em excesso, pode fazer com que você cometa alguns erros bobo pela simples falta de atenção. Isso diz respeito principalmente ao que você realmente já sabe. Dessa forma, não subestime as questões ou outros aspectos que pareçam extremamente fáceis. Tudo isso pode fazer diferença na hora da sua aprovação.

Agora que você já sabe o que é, para que serve e como estudar para uma prova de proficiência, faça seu planejamento, estude e prepare-se. Há cursos especializados no assunto que podem ajudá-lo ainda mais nesse processo preparatório. Não perca tempo e procure quem tem o conhecimento e a experiência no assunto.

Gostou deste post? As nossas dicas são relevantes para você? Deixe seu comentário logo abaixo para podermos ajudá-lo ainda mais — e bons estudos!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.