Logomarca curso Marta Garcia
escrita científica

4 boas práticas para aprimorar o processo de escrita científica

Não tem jeito, quem quer se aventurar pelo caminho acadêmico precisa muito mais do que gostar da área de pesquisa e ter curiosidade: é necessário aprender a otimizar a escrita científica, o que inclui as regras da ABNT, discussão teórica, definição metodológica etc.

Quer dizer, trata-se de uma produção textual específica, o que exige disciplina e treino para os pesquisadores, especialmente os iniciantes. Porém, não pense que utilizar termos rebuscados e/ou escrever de forma que poucos entendem é o caminho.

Pensando em ajudar você a tirar dúvidas sobre a escrita acadêmica, preparamos este post. Confira, a seguir, as principais dicas!

1. Realize um planejamento do que vai ser escrito

Começar a escrever diretamente, sem organizar as ideias, objetivos e realizar um planejamento pode tornar esse processo mais demorado e com mais necessidade de correções. Isso porque, desse modo, é comum que o indivíduo se perca nas ideias e, até, fuja da temática principal.

Por esse motivo, a recomendação é que comece escrevendo dois ou três pontos que resumem o seu trabalho, como se ele fosse apresentado para alguém. Feito isso, compartilhe com outra pessoa para testar o entendimento do que foi escrito.

A próxima etapa do planejamento é definir metas e prazos para que seja possível fazer uma boa gestão do tempo e garantir que tudo seja entregue em tempo hábil.

2. Tenha em mente boas referências para basear a escrita científica

A escrita acadêmica deve ser a mais embasada e coerente possível, o que exige o apoio de referências teóricas, dados e estudos. Isso ajuda a trazer mais credibilidade para a produção e, até, a você ter mais confiança para alinhar as ideias e entender melhor o assunto. Além do mais, a citação, direta ou indireta, de pesquisadores e autores de renome na área é obrigatória.

3. Tenha atenção ao vocabulário da escrita científica

Conforme mencionado, a escrita acadêmica precisa considerar que qualquer pessoa leia e compreenda o texto. Sendo assim, dobre o cuidado com vocabulários mais específicos do seu curso, por exemplo, para que as palavras utilizadas não limitem o entendimento apenas para quem for da área e, se possível, conceitue o significado de cada expressão técnica.

Além disso, lembre-se de evitar o uso de adjetivos, já que não se trata de uma produção textual opinativa. Observe também termos comuns durante a fala, que na escrita acadêmica podem mudar completamente o sentido de uma ideia.

4. Trabalhe com autonomia

Os orientadores são essenciais para o seu desempenho na escrita acadêmica. Porém, depender sempre deles, que tendem a ser pessoas com maiores limitações de tempo, pode atrapalhar o desenvolvimento e atrasar o seu trabalho.

Outro problema em decorrência da dependência excessiva é a diminuição da motivação e segurança sobre o que será desenvolvido, já que você sempre sente necessidade de contar com ajuda do orientador. Lembre que a propriedade intelectual é sua.

Como você pôde perceber, existem algumas dicas úteis para a melhora da escrita acadêmica. Coloque em prática e, se necessário, faça adaptações para sua realidade. Mas não deixe de buscar sempre maneiras de aprimoramento.

Gostou do post? Assine nossa newsletter e continue acompanhando dicas para o seu aprendizado!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.